.comment-link {margin-left:.6em;}

Blog do Armando Anache e "A luta de um repórter ..." http://aaanache.googlepages.com/home

"Tudo o que é verdade merece ser publicado, doa a quem doer" (Armando Anache) "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto" (Rui Barbosa) "Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último" (Thomas Jefferson)

Minha foto
Nome:
Local: Pantanal de Mato Grosso do Sul, Brazil

Jornalista (MTb 15083/93/39/RJ) formado pela PUC-RJ em 1987 e radialista (MTb 091/MS)- Produtor de programas de rádio e repórter desde 1975; cursou engenharia eletrônica na UGF (Universidade Gama Filho, RJ) em 1978; formado pelo CPOR-RJ (Centro de Preparação de Oficias da Reserva), 1979, é oficial R/2 da reserva da arma de Engenharia do Exército; fundador e monitor da rádio PUC-RJ, 1983; repórter e editor do Sistema Globo de Rádio no Rio de Janeiro (1985 a 1987); coordenador de jornalismo do Sistema Globo de Rádio no Nordeste, Recife, PE(1988/1989);repórter da rádio Clube de Corumbá, MS (1975 a 2000); correspondente, em emissoras afiliadas no Pantanal, da rádio Voz da América (Voice Of America), de Washington, DC; repórter da rádio Independente de Aquidauana, MS (www.pantanalnews.com.br/radioindependente), desde 1985; editor do site Pantanal News (www.pantanalnews.com.br) e CPN (Central Pantaneira de Notícias), desde 1998; no blog desde 15 de junho de 2005. E-mails: armando@pantanalnews.com.br ; armandoaanache@yahoo.com

terça-feira, março 17, 2015

Aquidauana perde o seu representante

Deputado Felipe Orro (à direita) e o prefeito de
Aquidauana, Zé Henrique Trindade: qual candidato a
prefeito Orro apoiará no ano que vem?
Foto: Arquivo Blog do Armando Anache/Pantanal News®
- 10 Abr 2013
O deputado estadual Felipe Orro (PDT) deixa o município no qual foi vereador, prefeito por dois mandatos e deputado estadual, exercendo o seu segundo mandato.
Ele transferiu o seu Título de Eleitor para a Capital do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 135 quilômetros a leste de Aquidauana, onde pretende ser candidato a prefeito, ou "colocar o nome à disposição do PDT".
As informações são do colega Fábio Dorta, na edição desta terça-feira [17 Mar 2015] do jornal "Diário MS", de Dourados (MS), que o leitor pode ver AQUI: http://goo.gl/DJylZn
Felipe Orro é mais um político que deixa a sua base eleitoral, para tentar novos e mais arrojados voos no cenário estadual. Uma fonte, ligada à sua assessoria, disse a este blogueiro que, no futuro, o sonho de Orro é ser governador do Mato Grosso do Sul.
Com a transferência do seu Título de Eleitor para Campo Grande, Felipe Orro não poderá disputar, no ano que vem, o cargo de prefeito de Aquidauana. Isso só aconteceria se, antes de outubro de 2015, a um ano das eleições municipais de 2016, ele voltasse a registrar o seu Título em Aquidauana, cidade onde nasceu.
Nos últimos meses, tem sido observada uma relação muito próxima entre o deputado estadual Felipe Orro e o vereador de Aquidauana, Mauro do Atlântico (PT). Nacionalmente, os dois partidos são aliados e apoiam a presidente Dilma Rousseff. Em Mato Grosso do Sul, Orro diz apoiar o novo governador, Reinaldo Azambuja, do alto tucanato. Como apoiou o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) -candidato ao Governo do Estado derrotado no ano passado por Azambuja-, Orro diz, agora, que "apoia o governador, mas é independente". Pode ser a velha desculpa para validar a velha posição do "se há Governo, sou a favor!" Resta saber se o deputado Orro já combinou com o eleitorado de Aquidauana, sobre uma possível aliança com o vereador Mauro do Atlântico, que tem comentado sobre a sua vontade de ser prefeito, uma aspiração legítima a todos os vereadores e cidadãos. Afinal, Orro era chamado pelos petistas de Aquidauana, quando prefeito no período de 2001 a 2008, de "coronelzinho", ou "integrante da direita dos coronéis que sempre dominaram Aquidauana, desde a sua fundação".
E o atual prefeito, Zé Henrique Trindade (PDT), que teve o apoio de Orro na eleição de 2012, será novamente merecedor do mesmo amparo em 2016? O deputado Felipe Orro "anda com todos os pré-candidatos a prefeito de Aquidauana". No entanto, no ano que vem, com quem ele realmente estará nos palanques? E, se for candidato a prefeito de Campo Grande, como ficam os companheiros de hoje e do futuro?
Como "o tempo passa, o tempo voa", e alguns políticos querem estar sempre numa boa, não será surpresa se houver, no ano que vem, essa união, ou "mistura", entre duas correntes políticas antes tidas como frontalmente antagônicas, adversárias e incapazes de composição, tipo a água com o óleo diesel.
O tempo, sempre senhor da razão, dirá o que realmente acontecerá.
Quem viver, verá!

quarta-feira, fevereiro 25, 2015

Prefeito divulga Nota Oficial e garante: 'jamais me neguei a cumprir quaisquer decisões judiciais emanadas do Poder Judiciário'

O prefeito de Aquidauana, Zé Henrique Trindade (PDT), divulgou há pouco [por volta das 22h do dia 25 de fevereiro de 2015, quarta-feira], na sua página em uma rede social, uma Nota Oficial, intitulada "Esclarecimento à população".

Nela, o político esclarece, com maiores detalhes, aquilo que o Blog do Armando Anache, com Pantanal News e rádio Independente já haviam informado anteriormente: não houve descumprimento de ordem judicial. Na mesma nota, o prefeito explica que "... antes mesmo do pedido de prisão feito pelo Ministério Público, o Município de Aquidauana já havia efetivamente providenciado a realização dos procedimentos cirúrgicos que, como já dito, não são tão simples a ponto de possibilitar, num curto espaço de tempo, a efetivação das cirurgias..."

Leia, abaixo, a íntegra da Nota de Esclarecimento:


Prefeito Zé Henrique Trindade dá entrevista ao repórter
Armando Anache (Foto: Arquivo Thiago Silva/Pantanal
News - 1.º jan 2013)
"ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

Aos meus amigos e amigas Aquidauanenses, venho a público explicar que a respeito do pedido de minha prisão por descumprimento de ordem judicial, feito pelo Ministério Público Estadual, objeto de notícia veiculada na imprensa e nas redes sociais por algumas pessoas no dia de hoje (25/02/2015), devo esclarecer o seguinte:

O Ministério Público Estadual ingressou com 2 (du
as) ações judiciais contra o Estado de Mato Grosso do Sul e o Município de Aquidauana, buscando que os Entes Públicos, em conjunto, garantissem a realização de cirurgias ortopédicas em 3 (três) pacientes que não têm condições financeiras de pagar a cirurgia.


Em ambas as ações, o juiz da causa concedeu ordem liminar para que os Entes Públicos providenciassem, no prazo de 10 dias, a realização das cirurgias, sendo o Município intimado em 09 de fevereiro de 2015 e o Estado ainda sequer foi intimado.

Assim como todos os pedidos judiciais de realização de cirurgia e fornecimento de medicamentos, o caso dos 3 (três) pacientes fora encaminhado, pelo Município, para cumprimento da decisão judicial e, tendo em vista a burocracia administrativa, os procedimentos cirúrgicos acabaram demorando para serem feitos, fator que motivou o Ministério Público a pedir minha prisão por descumprimento da ordem judicial.

Ocorre que, antes mesmo do pedido de prisão feito pelo Ministério Público, o Município de Aquidauana já havia efetivamente providenciado a realização dos procedimentos cirúrgicos que, como já dito, não são tão simples a ponto de possibilitar, num curto espaço de tempo, a efetivação das cirurgias.

Tanto é assim que a partir do momento em que juntamos no processo judicial a comprovação documental de que NÃO HOUVE DESCUMPRIMENTO DA DECISÃO JUDICIAL, TAMPOUCO COMETIMENTO DE CRIME DE DESOBEDIÊNCIA de minha parte, o Juiz de Direito da causa despachou INDEFERINDO o pedido de prisão formulado pelo Ministério Público, entendendo que não há o que se falar em descumprimento da decisão e prática de crime de desobediência, conforme decisão abaixo juntada.

Muito pelo contrário, o juiz fez constar na decisão que o prazo concedido para cumprimento da ordem liminar, tendo em vista o ato complexo que é uma cirurgia, foi deveras curto, e que o Município “está se movimentando para dar cumprimento à decisão prolatada nos autos”.

Portanto, ressalto aqui, através desse canal, que em nenhum momento me neguei a cumprir quaisquer decisões judiciais emanadas do Poder Judiciário, quiçá aquelas envolvendo questão de saúde pública, como é o caso aqui presente, reafirmando, nesta oportunidade, meu compromisso em trabalhar para o bem estar de toda população de Aquidauana."

MP pede e Justiça nega prisão de prefeito

A Justiça da Comarca de Aquidauana negou os dois pedidos feitos pelo MP (Ministério Público), solicitando a prisão do prefeito de Aquidauana, Zé Henrique Trindade (PDT), por descumprimento de ordem judicial.
Promotor José Maurício de Albuquerque (à esq.) e
prefeito de Aquidauana, Zé Henrique Trindade - Foto:
Arquivo Armando Anache/Pantanal News® - 6 mai 2013
Prisão
O titular da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social, José Maurício de Albuquerque, pedia, em duas ações distintas, a prisão do prefeito. Segundo o MP, Zé Henrique Trindade tinha dez dias de prazo, concedido pela Justiça, para providenciar cirurgias em duas pessoas, atendidas no Hospital Regional de Aquidauana, 135 quilômetros a oeste de Campo Grande. Elas tiveram que recorrer à Justiça, para que tivessem garantido os seus direitos de acesso à rede pública de saúde. O Hospital, sob intervenção da Prefeitura de Aquidauana, alegava que não dispunha de materiais necessários às cirurgias requeridas pelos médicos.
Liminar
Em virtude do não cumprimento da liminar, concedida pelo juiz da Vara Cível de Aquidauana, José de Andrade Neto, o Ministério Público deu entrada com uma nova petição, à mesma Vara Cívil, solicitando a prisão do prefeito pedetista, por "... deliberado descumprimento de ordem judicial.." que "caracteriza crime de desobediência [a uma ordem judicial, no caso as duas operações nos pacientes que conseguiram as liminares na Justiça, para que fossem operados]".

Juiz José de Andrade Neto deixa o prédio do MP de 
Aquidauana - Foto: Arquivo Armando Anache/Pantanal 
News® - 10 abr 2013
Ações
O promotor José Maurício de Albuquerque enviou, no início da noite de ontem (24), às duas Varas Cíveis da Comarca de Aquidauana, os pedidos de prisão do prefeito Trindade. Fontes do MP informam ao Blog do Armando Anache, Pantanal News e rádio Independente, que chegaram informações de que a Prefeitura estava tomando as medidas necessárias para resolver os dois casos.
Defesa
Em contato com a Procurador Jurídico da Prefeitura de Aquidauana, advogado Héber Seba, ele disse que o prefeito estava tranquilo, trabalhando normalmente, pois os dois pedidos de prisão, por descumprimento de ordem judicial, foram negados pela Justiça. "O juiz José de Andrade Neto expediu as duas decisões, e nelas afastou qualquer possibilidade da decretação da prisão do prefeito ou a caracterização do crime de desobediência", disse Héber Seba. Sobre as duas pessoas, que aguardam as operações, o advogado disse que a cirurgia necessária em uma das senhoras já foi realizada e está tudo o.k.; a outra será feita amanhã (26), pois requer uma prótese ortopédica.

terça-feira, março 25, 2014

Justiça proíbe Editora GDS de firmar contratos com o Poder Público

A Editora GDS, sediada em Aquidauana, 135 quilômetros a oeste de Campo Grande, está proibida de firmar contratos com o Poder Público, usando a rádio FM 100,9 MHz, conforme sentença publicada pelo juiz José de Andrade Neto.
Ele acatou denúncia feita pelo promotor José Maurício de Albuquerque, titular da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social de Aquidauana. A GDS, segundo relatado na denúncia e nos autos do processo, fez o arrendamento da programação diária, de segunda-feira a domingo, da rádio FM 100,9, com sede em Aquidauana e que tem como sócio majoritário o ex-prefeito e ex-deputado estadual Raul Freixes.

Freixes condenado

O Ministério Público, por meio do promotor José Maurício de Albuquerque, denunciou que, por ter sido condenado pela Justiça, Raul Freixes não poderia, por meio de empresas ligadas a ele, firmar contratos com o Poder Público. Assim, também a Editora GDS, arrendatária da concessão pública federal -o canal de rádio FM comercial na frequência de 100,9 MHz (Mega Hertz)- não poderia manter contrato com, por exemplo, a Câmara de Vereadores de Aquidauana, com o objetivo de transmitir as sessões ordinárias, nobres e extraordinárias, sempre ao vivo. A mesma proibição legal vale para todas as Câmaras e Prefeituras do Mato Grosso do Sul, incluindo os Governos do Estado e Federal.

Notificação de Prefeituras e Câmaras

Na sua sentença, datada de 24 de março de 2014, o juiz José de Andrade Neto determina que sejam notificadas da sua decisão -à qual cabe recurso, por ser de primeira instância- todas as Prefeituras do Mato Grosso do Sul, por meio da Assomasul (Associação dos Municípios do Estado do Mato Grosso do Sul); e as Câmaras de Vereadores, por meio da União das Câmaras de Vereadores do Mato Grosso do Sul.

Veja e leia, abaixo, o inteiro teor da sentença divulgada pelo juiz José de Andrade Neto, depois de denúncia feita pelo promotor José Maurício de Albuquerque:






quarta-feira, março 12, 2014

EXCLUSIVO - Justiça condena ex-prefeito e dono de 'site' nomeado por ele

Assessor Especial de Interlocução Parlamentar, Wilson de Carvalho (à esq.) entrevista o então prefeito de Aquidauana, Fauzi Suleiman (PMDB), que o nomeou para o cargo na Prefeitura de Aquidauana (Foto: Reprodução Lile Correa/Guinessbrasil.blogspot)


Ex-prefeito [2009-2012] de Aquidauana, Fauzi Suleiman (PMDB), foi condenado pela prática de nepotismo -improbidade administrativa-, juntamente com o dono de um 'site' de notícias, Wilson de Carvalho, nomeado por ele para exercer o cargo de "Assessor Especial de Interlocução Parlamentar".


Wilson e Fauzi ficam condenados e terão os seus direitos políticos suspensos por três anos. Pelo mesmo período, ficarão "impedidos de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário".


A denúncia sobre a prática de nepotismo foi feita pelo promotor José Maurício de Albuquerque, da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Aquidauana, 135 quilômetros a oeste de Campo Grande. Ele comprovou que a mulher de Wilson de Carvalho, Wanderléia José de Carvalho, é funcionária efetiva do município de Aquidauana, caracterizando o nepotismo em decorrência da nomeação do primeiro, para o cargo de "Assessor Especial de Interlocução Parlamentar".


O juiz José de Andrade Neto, da Comarca de Aquidauana, também aplica multa de "valor correspondente a 10 vezes o valor da última remuneração por eles percebida no serviço público municipal, valor este que deverá ser acrescido de juros de 1% ao mês e de correção monetária pelo IGP-M, a contar da data da presente sentença [27 de fevereiro de 2014]".


O juiz declara, ainda, "a nulidade da nomeação da pessoa de Wilson de Carvalho, para o exercício do cargo de Assessor Especial de Interlocução Parlamentar, de provimento em comissão e gratificado, cuja nomeação se deu a partir de 20.05.2011 e a gratificação foi concedida a partir de 01.07.2011".

Veja e leia todos os detalhes da sentença, à qual cabe recurso, publicada acima e abaixo e em 12 páginas







terça-feira, março 11, 2014

EXCLUSIVO - Justiça condena por nepotismo ex-prefeito, tia e mulher de procurador jurídico da Câmara

Justiça de Aquidauana condena por nepotismo, suspende direitos políticos e aplica multa a ex-prefeito Fauzi Suleiman, tia e mulher do atual procurador jurídico da Câmara, André Béda

Por Armando de Amorim Anache

Ex-prefeito de Aquidauana, Fauzi Suleiman (PMDB), é condenado mais uma vez pela Justiça, em primeira instância; cabe recurso à sentença

A Justiça de Aquidauana (MS), condenou o ex-prefeito Fauzi Suleiman (PMDB), pela prática de nepotismo. Na sentença, o juiz José de Andrade Neto impõe a suspensão dos direitos políticos pelo tempo mínimo previsto em lei, que é de três anos. "Pelo mesmo período, ou seja, por três anos, os demandados ficam impedidos de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário", decide o juiz.

Fauzi Suleiman, juntamente com Wilsandra Aparecida de Lima Beda e Soleide Mary Leão Gonçalves Fernandes, respectivamente mulher e tia do então procurador jurídico da Prefeitura de Aquidauana e gerente de Administração, entre outros cargos ocupados, advogado André Lopes Béda [atualmente no cargo de procurador jurídico da Câmara de Vereadores de Aquidauana]; terão que "pagar uma multa civil de valor correspondente a dez vezes o valor da última remuneração por eles percebida no serviço público municipal, valor este que deverá ser acrescido de juros de 1% ao mês e de correção monetária pelo IGP-M, a contar da data da presente sentença [27 de fevereiro de 2014]."

Advogado André Lopes Béda foi o coordenador da equipe de transição na Prefeitura, depois da eleição municipal de 5 de outubro de 2008, procurador jurídico do município de Aquidauana e gerente de Administração quando Fauzi Suleiman (PMDB) foi prefeito (2009-2012) (Foto: Arquivo Blog do Armando Anache/Pantanal News®/Rádio INDEPENDENTE - 30 Abr 2008)


Na sentença divulgada, o juiz José de Andrade Neto, acolhendo denúncia feita pelo promotor de Defesa do Patrimônio Público, José Maurício de Albuquerque, relata que "quando exerceu o cargo de prefeito de Aquidauana, de 2009 a 2012, Fauzi Suleiman (PMDB), mais precisamente em 2 de janeiro de 2009, nomeou André Lopes Béda para o cargo de procurador jurídico do município e, após, para outros cargos, inclusive de gerente municipal de Administração, sendo todos eles de provimento em comissão".


"Da mesma forma -prossegue o juiz na sua decisão- Fauzi Suleiman nomeou a requerida Wilsandra Aparecida de Lima Béda, que pertencia ao quadro de funcionários efetivos da Prefeitura de Aquidauana, para exercer o cargo de Diretora do Núcleo de Educação Infantil Valdir Cathcart, sendo referido cargo comissionado." Nos autos, o juiz informa que "todavia, Wilsandra é esposa de André Béda, sendo que o casamento de ambos ocorreu em 28 de outubro de 2001, ou seja, muito antes das nomeações mencionadas". Para o juiz Andrade Neto, "ao realizar a nomeação de Wilsandra para o exercício de um cargo comissionado, na mesma época em que seu esposo André Béda já ocupava um cargo em comissão no Município de Aquidauana, o requerido Fauzi Suleiman e a mencionada servidora Wilsandra praticaram ato que configura nepotismo e, consequentemente, uma improbidade administrativa".


Na sentença de primeira instância, à qual cabe recurso, o juiz relata que, "no dia 3 de abril de 2012, André Béda foi exonerado, a pedido, do cargo de gerente municipal de Administração, posto que pretendia se candidatar ao cargo de vereador, o que de fato acabou fazendo". E prossegue o juiz Andrade Neto: "para ocupar o lugar de André Béda na gerência municipal de Administração, o requerido Fauzi Suleiman nomeou a pessoa de Soleide Mary Leão Gançalves; que, porém, a mencionada Soleide é tia (parente em terceiro grau, na linha colateral) de Wilsandra, esposa de André Béda, que na época já exercia o cargo comissionado acima referido, de Diretora de um núcleo de educação infantil."


O juiz conclui que, "ao realizar a nomeação de Soleide para o exercício de um cargo comissionado, na mesma época em que sua sobrinha Wilsandra já ocupava um cargo de provimento em comissão no Município de Aquidauana, o requerido Fauzi Suleiman e a mencionada servidora Soleide praticaram ato que configura nepotismo e, consequentemente, uma improbidade administrativa."


* Leia mais notícias, sobre Fauzi Suleiman e André Béda, AQUI => 


* Veja e leia o inteiro teor da sentença, clicando 

AQUI => http://on.fb.me/1frcZDW

sábado, fevereiro 22, 2014

Justiça Eleitoral nega recurso de ex-prefeito que teve a prestação de contas rejeitada

Ex-prefeito Fauzi Suleiman sofre mais uma derrota na Justiça, com a
rejeição da prestação de contas da sua campanha eleitoral
A Justiça Eleitoral negou seguimento a um recurso especial do ex-prefeito de Aquidauana, Fauzi Suleiman (PMDB), que teve a prestação de contas de campanha rejeitada pela ausência de documentos. A decisão, assinada pelo presidente do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Mato Grosso do Sul), desembargador Atapoã da Costa Feliz, foi publicada no Diário da Justiça Eleitoral da próxima segunda-feira (24), que já está disponível.

O entendimento da Justiça Eleitoral é de que a ausência de extratos bancários impede a prestação de contas. “Além de serem documentos indispensáveis (...), sua ausência impede a análise da movimentação financeira do candidato (...), e sua ausência enseja o julgamento pela não prestação”, diz a decisão.

Divulgação
Não é a primeira decisão desfavorável ao ex-prefeito publicada nesta semana. Ele também foi condenado a ficar inelegível por oito anos, acusado de abuso de poder econômico no uso indevido dos meios de comunicação social. 

Segundo a denúncia, ele usou indevidamente empresas de rádio local durante o processo eleitoral em beneficio da própria candidatura à reeleição, em Aquidauana, 135 quilômetros a oeste de Campo Grande. Sobre essa condenação, leia mais detalhes 





Fonte: Paulo Fernandes, do MidiamaxNews/Redação Pantanal News/Blog do Armando Anache

quarta-feira, fevereiro 19, 2014

Justiça Eleitoral condena ex-prefeito a ficar inelegível por oito anos

Fotos: © Arquivo Armando Anache/Pantanal News®
O ex-prefeito de Aquidauana Fauzi Suleiman (PMDB) -na foto, à esq.; ao lado do seu vice, Vanildo Neves- e outras seis pessoas foram condenadas a elegibilidade por oito anos. A decisão, assinada pelo juiz da 10ª Zona Eleitoral, Giuliano Máximo Martins, foi publicada no Diário da Justiça Eleitoral desta quarta-feira (19/2).

Na Ação de Investigação Judicial Eleitoral ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral, Fauzi e Vanildo Neves Barbosa, Gustavo dos Santos, Daniele da Silva Santos, Wilson de Carvalho Dias, Ney Gabriel Azambuja, Iramar Ferreira dos Reis, Almir Santana Teixeira, a Empresa Editora GDS LTDA-ME e a Radio Difusora de Aquidauana-LTDA-ME foram acusados de abuso de poder econômico no uso indevido dos meios de comunicação social.

Prefeito Fauzi Suleiman, com os seus advogados, aguarda ser chamado pelo juiz Andrade Neto, para responder sobre supostas irregularidades na Prefeitura (Foto: Arquivo Armando Anache/Pantanal News®-23 Mar 2012)

Segundo a denúncia, eles usaram indevidamente empresas de rádio local durante o processo eleitoral em beneficio das candidaturas de Fauzi Suleiman e Vanildo Neves, então candidatos a prefeito e vice-prefeito, respectivamente.
De todos os suspeitos, apenas o candidato a vice-prefeito não foi condenado. “Em relação ao requerido Vanildo Neves, não há nos autos que tenha cometido ou contribuído para prática do abuso de poder econômico, não sendo aplicada a sanção da inelegibilidade. A propósito seu nome sequer é mencionado nas entrevistas, de modo que sua condenação se mostra inviável”, diz o magistrado, em sua decisão.

A defesa argumentou que as entrevistas se deram dentro do permissivo constitucional da liberdade de expressão. Não foi o que entendeu a Justiça Eleitoral.

Prefeito Fauzi Suleiman, com os seus advogados, deixa o Fórum de Aquidauana, depois de responder sobre supostas irregularidades na Prefeitura, denunciadas pelo Ministério Público (Foto: Arquivo Armando Anache/Pantanal News®-23 Mar 2012)

Em um das entrevistas, o apresentador Ney Gabriel Azambuja, conhecido por “Brasil Neto”, dedicou o seu programa “Chicote do Povo”, para elogiar a administração do até então pré-candidato à reeleição Fauzi Suleiman. Ele chegou a afirmar que Fauzi teria uma vitória esmagadora nas eleições.

“Dois pontos devem ser sublinhados, o próprio apresentador do programa, Ney Gabriel Azambuja, saiu candidato a vereador na coligação do candidato Fauzi Suleiman (...) e fez todos esses elogios, que se traduzem, na realidade, em um pedido subliminar de votos. Uma coisa é reconhecer o louvor na conduta de alguém, outra, muito diferente, é fazer veementes encômios a uma determinada pessoa, utilizando-se de todo o espaço de seu programa, que sabe que sairá como candidato nas próximas eleições, e ainda fará parte de sua coligação como candidato a vereador”, disse o magistrado em sua decisão.

O juiz afirmou ainda que, “indubitavelmente e de maneira reiterada” duas emissoras de rádio foram insistentemente utilizadas pelo então prefeito Fauzi e por seu grupo político para veicular propaganda política e difundir opinião favorável a seu respeito e de maneira contrária ao candidato da oposição José Henrique Gonçalves Trindade. As entrevistas aconteceram inclusive no período pré-eleitoral.

“Tão forte foi a parcialidade de aludidos meios de comunicação com o então candidato Fauzi Suleiman que ele teve quase duas horas de exposição pública naquelas emissoras, ao passo que os demais candidatos não tiveram sequer um minuto. Não se trata de uma ou duas ofensas à legislação eleitoral, mas de várias”, diz a decisão.

Fonte: Paulo Fernandes/MidiamaxNews

quarta-feira, fevereiro 12, 2014

Granada é destruída com carga explosiva auxiliar




Policiais militares do BOPE (Batalhão de Operações Especiais), de Campo Grande (MS), detonaram uma carga explosiva auxiliar, colocada junto a granada encontrada em um terreno em obras, na ta
rde desta quarta-feira (12).

A detonação da carga ocorreu por volta das 19h25. Ela destruiu a granada, que não explodiu a sua carga própria. Com roupas especias, que dão proteção contra explosões controladas, os policiais do BOPE recolheram os fragmentos da granada, que permaneceram na área da detonação da carga auxiliar, em virtude do uso de placas abafadoras e isolantes, que têm o objetivo de não permitir que os estilhaços, provocados pela explosão, atinjam pessoas ao redor.

Ficou confirmada a informação, dada inicialmente, de que se tratava de uma granada, provavelmente do Exército Brasileiro, deixada no local há muitos anos. Era do tipo de fragmentação e antipessoal, idêntica àquelas vistas em filmes que retratam a atuação das tropas dos Estados Unidos da América e do Brasil, na Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
Depois de recolher em uma caminhonete os fragmentos recolhidos no terreno, na rua Estevão Alves Corrêa, entre as ruas Assis Ribeiro e José Bonifácio, no Bairro Alto, os policiais do BOPE deram por encerrada a missão e retornaram a Campo Grande, 135 quilômetros a leste de Aquidauana.


Policiais militares do 7.º Batalhão de Aquidauana, auxiliados por integrantes da ROTAI (Rondas Ostensivas Táticas Armadas do Interior), fortemente armados, fazem o isolamento da rua estevão Alves Corrêa; com a chegada dos especialistas em bombas, do BOPE de Campo Grande, a granada foi atingida por uma carga explosiva auxiliar, colocada próxima a ela, que não explodiu (Fotos: © C
opyright Armando Anache/Pantanal News®/Rádio INDEPENDENTE/Blog do Armando Anache/O Estado do Pantanal® - Todos os direitos reservados - All rights reserved)

sexta-feira, fevereiro 07, 2014

'Gincana Sobre a Dengue' é usada contra epidemia


Reunião na tarde desta sexta-feira (7), na Gerência de Saúde e Saneamento, tratou dos detalhes da "Gincana sobre a Dengue", que será aberta oficialmente no dia 15 de fevereiro, sábado, às 7h.
O gerente de Saúde, Anderson Meireles, informa que será realizada um grande passeio ciclístico, saindo da rotatória da Avenida Pantaneta.
A Vila Cidade Nova, em Aquidauana, é a área urbana com o maior número de larvas do mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue. A maioria está em latinhas de cervejas e refrigerantes, garrafas plásticas do tipo "pet" e pneus velhos e usados.


"Estamos no 'fio da navalha' e, por isso, é muito importante que cada um de nós, moradores em Aquidauana, seja um multiplicador das ações que visam conter o mosquito transmissor da dengue", diz o coordenador do Controle de Vetores, Adauto Rodrigues Mendes. Ele cita um exemplo: um ovo do Aedes Aegypti, transmissor da dengue, pode ficar até 420 dias dentro de um pneu velho e seco; se, depois de todos esses dias, o pneu receber água da chuva, haverá o nascimento da larva do mosquito.


Para Adauto Mendes, o melhor resultado obtido, no quesito prevenção da proliferação dos mosquitos, é quando são feitas visitas às escolas. "As crianças, a juventude em geral, leva muito a sério a nossa mensagem de prevenção; e mais, cobram de forma dura daquelas pessoas adultas que insistem em não tomar os cuidados necessários para evitar a proliferação do Aedes Aegypti", diz.


O gerente de Saúde e Saneamento de Aquidauana, Anderson Meireles, deixou claro, durante a reunião, que a sua pasta -bem como toda a equipe de trabalho do prefeito Zé Henrique Trindade- fornecerá toda a estrutura necessária para a realização da "Gincana Sobre a Dengue". "As pessoas podem começar a recolher, em suas casas e em seus locais de trabalho, todo o tipo de lixo; nós forneceremos sacos plásticos para embalar os produtos e a gerência de Obras colocará caminhões circulando por toda a cidade, para levar o lixo separado pela população", diz Meireles.


A reunião, iniciada às 15h, teve a participação de representantes das escolas de Aquidauana, associações de moradores, Exército Brasileiro, imprensa, conselho municipal de saúde e outros segmentos representativos da sociedade.


Ouça a entrevista que fiz, com o gerente de Saúde e Saneamento da Prefeitura de Aquidauana, Anderson Meireles, sobre a "Gincana Sobre a Dengue", clicando AQUI => http://www.4shared.com/mp3/CnAV-3Y9ba/1015.html?

Fotos: © Copyright Armando Anache/Blog do Armando Anache/Pantanal News®/Rádio INDEPENDENTE/O Estado do Pantanal® - Todos os direitos reservados - All rights reserved

Colegas da imprensa, fazendo a cobertura da reunião que tratou da "Gincana Sobre a Dengue":



Rhobson Tavares Lima, do jornal "O Pantaneiro"

Euclides Casanova, da assessoria de imprensa da gerência de Saúde e Saneamento da Prefeitura de Aquidauana

Plínio de Góes, da rádio Difusora de Aquidauana

Este blogueiro, Armando Anache (Rádio INDEPENDENTE - PANTANAL NEWS® - O Estado do Pantanal® - Trio Elétrico Jacaré Independente do Pantanal), entrevistando o gerente de Saúde, Anderson Meireles (Foto: Arquivo ASCOM/Euclides Casanova - 30 Jan 2014)